Histórico do Trabalho em São Caetano do Sul

Em 1937, cidades brasileiras sacudidas pelo movimento pentecostal , Deus introduz no coração de alguém servos que a cidade de São Caetano do Sul deveria ser evangelizada e, no mês de julho do ano de 1938, chegaram a esta cidade os missionários Francisco José Estauto e esposa irmã Herma que alugaram uma casa na rua Rio Grande do Sul, 291 e realizaram o primeiro culto ao ar livre, no dia 12 sendo que, a partir de então, todos os cultos foram dirigidos pelo Pastor Silvio Brito, com cooperação também do irmão Heitor Vieira da Rocha e mais alguns irmãos. Não sabemos mais nada sobre estes pioneiros porém, foram vasos usados nas mãos do Senhor. Não temos dúvidas ao afirmarmos que quando semeavam a semente, sabiam que no futuro marcar-se-ia uma nova era para a cidade de São Caetano do Sul. Os cultos continuaram na casa alugada até o dia 29. No dia 30 foi efetuada a primeira mudança para um salão localizado na rua Heloisa Pamplona, 318 ficando naquele local até o ano seguinte sempre sobre a direção do Missionário Estauto.
Foram fundadores do trabalho em São Caetano do Sul, os irmãos Francisco José Estauto, Luiza Estauto e a irmã Herma vindos da America do Norte mais os cooperadores Delfino Brunelli, Benedito Brunelli e Silvio Pitorre que na ocasião eram membros da Assembleia de Deus em São Paulo na Rua Cruz Branca, 35. Os primeiros convertidos foram: Antonio Piron, Judite Brunelli Piron, Hans Fischer, Clementina Brunelli Fischer, Celson Brunelli, André Dela Paschoa, Luiza Dela Paschoa, Manoel Leris, Petrovina Léria, Julieta Leria, Paulina Souza e filhos (irmã Paulina é sogra do Pr. José Ramos dos Santos).
Em meio a um grande avivamento, quando então foram abertos os seguintes trabalhos, Taboão do Zoológico, Santo André e Vila Luzita e feito também um batismo na Rua Cruz Branca – São Paulo, onde desceram as águas entre os quais o irmão Manoel Léria e família Brunelli perfazendo um total de 30 irmãos. Os irmãos missionários entregam a direção dos trabalhos desta igreja ao jovem João Gomes Pereira, conhecido como João Nunes e retornam à América do Norte, no ano de 1940. Informamos também que a primeira consagração ao diaconato foi o irmão Alfredo Araujo Silva, o qual encontra-se conosco ao 86 anos de vida, posteriormente houve mais consagrações, tais como para presbítero: Benedito Brunelli e Delfino Brunelli e para diácono Pedro Ferreira. Em 1943, o Pastor João Gomes Pereira, contrai núpcias com a irmã Iraci. No período da direção do Pastor João Nunes, houve duas mudanças de endereços, senda da Rua Heloisa Pamplona para a Rua Amazonas, 848 e dali para o número 1134 da mesma rua, onde permaneceu até o ano de 1943. O Pastor João Nunes realizou diversos batismos na cidade de Mogi das Cruzes – São Paulo e abriu os seguintes trabalhos: Mogi das Cruzes, Pedreiras, Taperinha, Vila Gisela, na residência do irmão Sotero, Vila Santa Maria na residência do senhor João Fischer, Vila Alpina na residência do irmão José Leite e no Bairro Cerâmica na residência do irmão Luiz Ramos. Em julho de 1943, quando a igreja ainda era ligada a Missão, devido algumas divergências, ficou resolvido que o trabalho passaria a pertencer à igreja do Brás – São Paulo localizada na Av. Rangel Pestana – Ministério de Madureira cujo Pastor era o irmão Antônio Alves dos Santos; consequentemente o trabalho de São Caetano do Sul passou também a pertencer a Igreja de Madureira – Guanabara, tendo em vista a ligação da Igreja do Brás.
Esta decisão foi tomada após uma reunião de vários pastores e missionários dentre os quais: Pr. Antônio Rodrigues, Pr. Antônio Alves dos Santos e Miss. Bruno da Igreja do Belém – São Paulo. No período de julho a outubro de 1943, a igreja ficou sob a direção dos seguintes diáconos: irmãos Alegria e Fernandes, ambos pertencentes a igreja do Brás. Em 10 de outubro do mesmo ano, a direção da igreja foi entregue ao Evangelista Álvaro Mota que após alguns anos, o trabalho foi desligado do Brás ficando direto com Madureira – Rio de Janeiro. Nesta época, foram abertos os seguintes trabalhos: Água Fria, Saião, Gato Preto, Perus e São Bernardo do Campo. Foi também comprado um terreno na Rua Goiás, 679, onde foi construído o antigo templo que também foi construído pelo Ev. Álvaro Mota que inaugurou-se em 7 de julho de 1946 e em janeiro de 1948, entregou a direção desta igreja ao Pastor Otávio José de Souza da igreja do Brás, até o dia 22 de abril de 1948, quando assumiu o pastorado desta igreja, o Pastor Raymundo Nonato Barreto, vindo da cidade de Campos – Rio de Janeiro, por determinação do Pastor Presidente da Igreja Matriz, Paulo Leivas Macalão. No ato solene de posse, o Pastor Paulo Leivas Macalão, designou os irmãos Otavio José de Souza e Antonio Pastori da Igreja da Rua Major Marcelino, 331 para representá-lo. Quando o Pastor Raymundo Nonato Barreto iniciou os trabalhos de direção deste campo, havia uma diretoria constituída dos irmãos secretário Luiz Cairo e tesoureiro Francisco Silvo Passianoti. No trabalho de Perus, estiveram na direção os seguintes irmãos: Alfredo Orlando, Manoel Cordeiro de Lima e o Evangelista Benjamim Felipe Rodrigues. No trabalho de Santo Amaro, existiam alguns crentes espalhados, os irmãos Manoel Fernandes e Olegardo Barboza ambos de São Caetano começaram a visitar aqueles irmãos conseguindo abrir um trabalho naquela cidade que primeiramente foi dirigido pelo Evangelista Alfredo Orlando e posteriormente pelo Pastor Antonio Conceição Rosa. Com o decorrer dos anos com a graça de Deus, foram construídos alguns templos tais como na cidade de São Bernardo do Campo (Rua Branzilio Machado), Vila Nova e Piraporinha. Desde 1938 até os nossos dias, o Senhor tem nos abençoado sobremaneira o trabalho cresceu, lindos templos foram construídos onde igrejas são emancipadas, onde destacamos somente em São Bernardo do Campo 3 sedes próprias: São Bernardo do Campo, Rudge Ramos e Taboão. Vila Alpina, Vila Nova Gerte, Santo Amaro, Perus, Vila Alzira, Vila Industrial, Parque São Lucas, Cajati etc. Após a decisão aprovada em reunião de ministério, foi iniciada a procura de um terreno de preferência no centro de São Caetano do Sul e o Pastor Antônio Pastori saiu a procura encontrando alguns, mas o Senhor aprovou este que foi adquirido da família Toyoda, havia alguns problemas com herdeiros que com a orientação do irmão Paulo Monteiro, foram todos solucionados. Após a demolição do velho prédio e lançamento da pedra fundamental, foi dado início a construção do atual templo com o projeto e desenho da planta efetuado pelo Evangelista Luiz Antônio Duarte na época, aprovado pelo ministério e igreja. Destacamos também a valiosa colaboração do engenheiro civil irmão Nicola Amendola (que hoje dorme no Senhor), Osvaldo Pazin, Paulo Monteiro, Luiz Antônio Duarte, Pastores Antônio Pastori, Perácio Grilli e Firmo Chaves Silva.
Destacamos também os Pastores que presidiram esse campo desde 1939 até hoje: Pr. João Nunes, Ev. Alvaro Mota, Pr. Raymundo Nonato Barreto, Pr. Roberto Montanheiro, Ev. José Capaubo, Pr. Francisco Silvio Passianotti, Pr. Otavio José dos Santos, Pastor Enoc Morgado, Pr. José Eduardo Modesto, Pr. Antonio Pastori, Pr. Perácio Grilli que presidiu até o dia 20 de Outubro de 1987, passando assim para o Pr. Firmo Chaves Silva que assumiu o Campo e o mesmo teve um grande desenvolvimento, crescendo o número de membros e congregações e deu início a construção do Prédio Administrativo até outubro de 2002. Em 2002 assumiu o Pr. Júlio Cesar Silva que também desempenhou um grande trabalho, comprando várias propriedades que eram alugadas e fazendo o término do Prédio administrativo. Dia 26 de dezembro de 2006 passou a presidência ao Pr. Aparecido Dias, que também realizou um grande trabalho, em especial a Reforma do Nosso Tempo Sede que foi um grande Desafio, porém Deus nos abençoou de uma maneira muito especial. No dia 14 de outubro de 2010, Pastor Aparecido foi jubilado ficando como Presidente de Honra do Campo, e passou a Presidência ao Pr. Marcos Roberto Dias, presidente atual e Deus continua nos dando as mais ricas e selecionadas bênçãos!

pastores-adsaocaetano